segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

reinações de narizinha (o retorna da presidenta - parte IX)


Trago a vocês, o renovar da discussão sobre "PRESIDENTE x PRESIDENTA", que tanto tem polemizado nossas aulas! Este texto eu encontrei na Revista Língua, Nº 72.
"A novela Fina Estampa, da rede Globo, materializou na ficção a maneira desconfortável com que o brasileiro parece lidar com a representação linguística da mulher contemporânea. A portuguesa Griselda Pereira (interpretada por Lília Cabral) é uma trabalhadora séria. Encanadora e eletricista, é uma batalhadora chefe de família, faz-tudo engajada em profissões que a trama de Aguinaldo Silva se empenha em tomar por masculinas. A caracterização da personagem segue à risca a masculinização das atividades que abraçou: despida de vaidade, Griselda tem apelido de homem (Pereirão), veste-se de forma desleixada, fala grosso. Age estereotipadamente segundo esse modelo "Pereirão": as palavras que definem seu gênero serão também elas masculinizadas."

"A representação caricatural da telenovela das nove - a atividade masculina masculiniza - segue a mesma hesitação dos dicionários brasileiros em incorporar os gêneros femininos a palavras que, por um tempo já remoto, foram relacionadas a atividades masculinas. Somente neste século 21, os elaboradores de dicionários de língua portuguesa tomaram ciência de que as mulheres ao longo dos anos têm conquistado cada vez mais espaço na sociedade brasileira. No passado não tão remoto não havia "arquitetas", "engenheiras", "advogadas" ou "médicas" atuando no país. O Brasil mudou radicalmente porque hoje em dia temos "senadoras", "deputadas", "vereadoras", "prefeitas", e uma "presidente", ou "presidenta"."

Um comentário:

  1. Menino, menino, menino... você está cada vez melhor, vá sempre em frente... bjs

    ResponderExcluir

Este blog foi criado para promover o debate e a prática da escrita principalmente entre estudantes de graduação. Todo e qualquer comentário é muito bem vindo, desde que seja respeitoso e que contribua para o crescimento intelectual e social de tod@s. Portanto, não serão tolerados desrespeitos nem agressividades.