terça-feira, 30 de agosto de 2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

De Acordo com o Novo Acordo

O hífen, não é um acento, mas sim um sinal diacrítico utilizado entre algumas letras/palavras tem a função de alterar a pronúncia ou o resultado fonético.

Durante uma de nossas aulas surgiu um questionamento: “Como ficou a escrita da palavra semi-novo/seminovo?Com ou Sem o hífen?”.

De acordo, com a referência eletrônica http://www.portuguesnarede.com, explica que “Na nova ortografia, se o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por consoante, não existe hífen: anteprojeto, antipedagógico, autopeça, autoproteção, geopolítica, microcomputador, pseudomédico, semicírculo, seminovo, ultramoderno, antigesto, semideus, semiditador, autofinanciamento”.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Pré-su-fixo

Vem antes do que interessa
Fazendo efeito no meio
Sem mudar o final.

Depois do original
Se faz observar
Para não atrapalhar.

No meio da construção
Tem-se o importante
Que dá valor ao significado.

Meio a meio tem razão
Um só, solidão
E juntinhos,
Os três,
Se transformam em emoção.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

presidente & presidenta


No dicionário digitalizado do Caldas Aulete, edição atualizada é possivel encontrar o verbete presidenta (s. f. (fam.) || mulher que preside; esposa de um presidente. F. Presidente.), o que não era possivel encontrar no mesmo dicionário impresso, da edição de 2004, pela editora Nova Fronteira S.A. Isso pode fazer parecer que este verbete é algo que surgiu apenas com a posse da presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, em 2011, o que não é verdade; no dicionário Oxford Escolar para estudantes brasileiros de inglês, cuja última edição foi de 2009, é possivel encontrar o verbete presidente com o afixo -a, para simbolizar que este verbete pode ser encontrado em português em qualquer gênero. Todavia, o dicionário, por não conhecer a nova presidenta do Brasil, faz uma ressalva de que o gênero feminino se encaixa na hierarquia de empresas. (presidente. -a sm-sf 1. (Pol. de uma empresa) president: Presidente da República President of the Republic.).

Tânia Ferreira Rezende. Atribuição de gênero aos nomes em português

Artigo sobre a atribuição de gênero aos nomes em português

Observatório da Imprensa: sobre presidenta

www.observatoriodaimprensa.com.br
A questão tem aparência secundária, pode até ter sido criada para distrair as atenções e fomentar debates irrelevantes. Mas não pode ser ignorada.

Escreva Lola Escreva: MINHA PRESIDENTA, O DEBATE

Escreva Lola Escreva: MINHA PRESIDENTA, O DEBATE: Nesta semana que foi a primeira do novo governo, muito se discutiu sobre o uso do termo presidenta . Alberto Dines, que desde 2005 não fala ...

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Para a melhor música


Pegue três colheres de sopa de sinceridade
Uma pitada do suor da paixão
Com duas xícaras de amizade
Misture tudo para fazer a percussão

Depois, coloque muito do amor
Mas, o amor que faz sonhar
Coloque também lágrimas, não de dor
Sim, de todas as pessoas que creem que bom amar

Saupique um pouco mais de liberdade
E muito de imaginação
Deixe de lado o pensamento
E essencialmente a atenção

Aumente dois litros de verdade à receita
Para dar gosto a sinceridade
Deixe descançar próximo à janela

Depois, leve ao forno da personalidade
E o aroma, logo em seguida vais conhecer
É aquele que dá sentido à vida e musicalidade

Presidente ou Presidenta?

        
 Algo me intrigava há algum tempo, como se deve dizer, presidente ou presidenta? Qual é o certo? Fui atrás, perguntei primeiramente para um aluno de jornalismo: Qual forma você julga certa, presidente ou presidenta? Sua resposta foi rápida e convicta; Bom, a imprensa há um bom tempo utiliza a forma "presidenta", pois a então presidente Dilma Rousseff desde sua posse vem utilizando-a, a imprensa (para reforçar a ideia de Dilma) passou a utilizá-la também. Outro fator que implica nessa mudança é importância que esse cargo tem para um país, por isso permitiu-se tal mudança. Penso que futuramente a língua portuguesa aceitará a forma presidenta, isso se for bem aceita pelos falantes da língua. Particularmente, já aceito e utilizo "presidenta".
Fiz a mesma pergunta a alguns docentes e discentes da Faculdade de Letras, suas respostas foram diretas e conscientes; o fato de haver uma mulher no cargo de presidente de um país (por mais que seja a primeira vez na história desse país, ou seja, um marco histórico)  não quer dizer que devemos mudar o gênero da palavra. Se fosse assim, poderíamos sair mudando as palavras de gênero neutro para masculino e feminino. Portanto, não é certo dizer que "presidenta" é o nome que se dá a uma mulher que governa um país, ou da mesma forma "presidento" (para o homem). Sendo assim, as palavras terminadas em "-ente" e "-ante" são neutras e bastam por si só, distinguem masculino ou feminino, essa marcação (a de gênero) é feita através do artigo que a antecede.
E você já, pensou nisso? Depois dessa explicação um pouco rápida, qual seria sua resposta? Fica a pergunta.

Por
Kenedy Miguel O. Yamada

Eu não sei português

http://obiahpml.webnode.com/blog/

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Natural

A alma perturbada
Sofre por seus pecados
Jogada na masmorra
Do esquecimento,
Pedindo perdão
Por sua falta.

Desce ao inferno
Com medo do fogo,
Sobe aos céus
Com a esperança do conforto.

Chega a um,
Para pagar sua dívida.
Chega a dois,
Recebendo o perdão.

Ignora sua visão
E se arrepende da decisão.

Prefere Hades
Para se lavar,
Que zeus
Para se culpar.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Encantamento

Canto encantamento medo e atração
canto de morte
do guerreiro em sacrifício 
libélula seguindo a luz
ânsia de fugir...
mais forte é o desejo de seguir
seguindo perde-se a rota muda-se a direção
marinheiro em alto mar desamparado
sem bússola e sem norte: Belém Moçambique ou Calicute?
no Tormentas os gigantes
marinheiro enfeitiçado
guerreiro amaldiçoado
libélula encantada
zumbido magia feitiços
a libélula por inconsciência
o guerreiro por medo
a navegante com consciência, medo e desejo
tempestades arteriais sudoreses matinais
respiração pausada entrecortada
falta o ar
sucumbe a razão
alucinação
a bússola é a única salvação
nesse mar revolto prenhe de adamastores ninfas nereidas
nau frágil em deriva errante
naufraga...
naufrágio da navegante

POEMAR AMAR

Eu poemo
Tu poemas
Ela poema
Ele poema
Nós poemamos
Vós poemais
Elas poemam
Eles poemam
Vocês poemam
A gente poema
Pois é, este é o paradigma
A língua é cheia de padrões
Mas a vida desmonta os paradigmas
Desregra a língua
E a língua desregra a vida
Entre conjugações e declinações
Com juga-se o ato no verbo
E o verbo no ato
Declina-se o desejo
Obedecem-se às regras
Aplicam-se as concordâncias
As canônicas e as variáveis
Entre normas e padrões: o sentido
Seria tão simples dizer apenas
Que poemar põe [ocê / todo mundo] a amar
Sem explicar as crases, elisões e aglutinações
Poemar amar põe mar amor no mar de amor